domingo, maio 29, 2016

PERGUNTAS SEM RESPOSTAS


Ninguém entende!
Porque assim me sinto
Se a voz se prende
E a mente é labirinto.
Solto a vida em versos
compungidos,
Sonho com campos floridos
E uma dor estranha
Sempre me acompanha
Nas palavras a emoção
A tristeza é tamanha!
Quando caio na solidão.

Deixo palavras que são sementes
Assim crio minhas ilusões
Nas horas vazias
com esperanças tão ausentes
Levo a vida aos tropeções.
Sossegados em certos dias
Outros os olhos são poços de àgua
E os sonhos que vou sonhando?
São de saudade e de mágoa
Que no peito estão gritando
Por quê? Por que?


Mas são perguntas sem respostas...

Nara Carvalho

domingo, abril 24, 2016

O SEGREDO DA FELICIDADE



Para encontrar a felicidade precisamos, em primeiro lugar deixarmos de ser vítimas dos problemas e nos tornarmos autores de nossas próprias histórias.

É preciso agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida, e não ter medo dos próprios sentimentos.

É saber falar de si mesmo, e ter coragem de arriscar mesmo quando corremos o risco de ouvir um "não".

É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

É curtir a família e amar os amigos, mesmo que eles nos magoem.

É deixar viver a criança alegre e simples que mora dentro de nós.

É ter maturidade para dizer eu errei, e ousadia para dizer "me perdoe".

É ter sensibilidade e falar eu preciso de você, é não ter vergonha de dizer eu te amo.

São coisas tão simples (Talvez você pense), mas eu digo a você que é justamente na simplicidade das coisas que se encontra o segredo da felicidade...

domingo, fevereiro 28, 2016

BANDEIRAS DA HIPOCRISIA



Não há no mundo tragédia maior que a indiferença!!

Das  tragédias de todos os dias, onde morrem pessoas inocentes, seja por fome e por bomba nos causa indignação, revolta e desperta-nos o sentimento de piedade, revolta ou compaixão...

Acusamos os líderes, os políticos, os adversários e no entanto somos nós que apertamos o gatilho, somos nós que lhes tomamos o pão...

Somos todos nós os terroristas, reféns e cúmplices da hipocrisia da mídia!!

Fechamos os olhos para o que acontece na nossa cidade, nosso bairro, nossa rua rua! Fechamos os olhos para o mendigo dormindo ao relento, para a criança vendendo balas no sinal, fechamos os olhos para o idoso que fica de pé nos ônibus enquanto ocupamos o lugar que por direito é seu, ou a vaga do deficiente (Apenas uns minutinhos) Acusamos esse ou aquele partido de roubo e corrupção mesmo sabendo que corrupção sempre houve em nosso país, porém nunca tão claramente exposto, denunciado e combatido.

Fechamos os olhos quando somos hipócritas e defendermos bandeiras, quando nos dividimos em grupos, em classes e em partidos, ao invés de nos unirmos como inteiros !!! Um país inteiro, um mundo inteiro, unido!! Somar forças sempre foi o melhor caminho

Esta é a hipocrisia da vida: Divide-nos em dois grupos!! Aqueles que não têm cérebro porque têm bandeiras e os que não têm bandeiras porque têm cérebro. 


O luto é pelos inocentes, os inocentes sem bandeira.

sexta-feira, janeiro 29, 2016

SER MÃE É PADECER ENTRE CONTRADIÇÕES



Às vezes olho para eles e penso como seria a minha vida se não tivessem nascido, se eu nunca tivesse sido mãe...

Lembro-me de quando eu tinha  saudades de ter tempo para mim, para dormir o quanto quisesse, e quando quisesse sair era só me arrumar e ir apenas.

Claro, depois sentia remorsos de pensar naquilo, como se estivesse negando os meus filhos, como se não fosse natural ou normal. Sentia-me mal por ser humana, com hábitos de saudosismo.

Descobri muito rapidamente que ser mãe é padecer entre contradições: Descobri coisas absurdas, idiotas e ainda mais absurdas como sentir que eles cresciam e por não guardar tudo em filme ou foto parecia que perderia parte da vidinha deles, como se cada sorriso ou cada olhar não ficasse gravado em minha mente.


E nos dias  em que faltava-me paciência então me tornava uma péssima mãe, ou quando precisava dar-lhe uns tapinhas no traseiro e depois sentia-me logo uma bruxa má porque eles eram tão pequeninos que nem tinham bumbum para uma palmada. Ou quando brigava e chamava atenção e eles não percebiam nada e abriam um sorriso pra mim...

Às vezes sentia-me tão desesperada  vendo a minha vida passar enquanto cuidava de fraudas e mamadeiras e parecia que perdia tudo o que acontecia lá fora... e as amigas que iam com os namorados ao cinema e às festas. A vida era feita de consultas aos pediatras, entre as vacinas e choros de madrugada! E amanhecer o dia em claro porque eles choraram a noite toda e  mesmo assim ter que encarar um dia inteiro de trabalho... E ainda assim ficar louca pra voltar pra casa ao final do dia só pra tê-los nos braços novamente, e acordar de noite pra ver se estavam respirando, e só assim conseguir dormir.

Ansiava em ter momentos só pra cuidar de mim, longe deles mas quando estava, não parava de pensar se estavam bem ou se sentiriam a minha falta, e 
lamentava os sorrisos que davam sem que eu visse!!  Eu tinha ciúmes de quem quer que seja que se aproximasse deles e se eles sorrissem então...Aquele sorriso era meu e só meu. 

Era uma luta contra mim mesma todos os dias porque eles precisavam crescer e voar para além dos meus braços.... E hoje me sinto orgulhosa ao vê-los tão grandes, espertos e independentes... Embora tenha saudade de quando dependiam pra tudo!!

Às vezes penso: será que todas as mães são assim loucas e obcecadas?

Eu sei que não estou só nestes sentimentos, que qualquer Mãe sente isto tudo e isso não me faz sentir melhor...pelo contrário, não gosto de me ver nas palavras de outras mães quando conto algo e me dizem “ah, o meu filho também faz assim ... Amo quando dizem “uau, os teus filhos são uns amores e você já não tem mais criança...

Contradições de uma mãe...

                                                                                    NARA CARVALHO

sexta-feira, janeiro 08, 2016

Reticências (...)

   

(…)

São três pontos apenas
Tem um quê de timidez
Ou talvez de ousadia...
De um sentimento inacabado
Frases sem fim, sem ponto final...

Sabem manter o assunto em aberto
Como um final incerto
Simbolizam um mundo
Um poço sem fundo
Mas nunca um fim, algo acabado
Algo que nunca mais foi falado...

As reticências são assim
São armas de sedução
Que não diz: insinua
Não mostra: provoca
A vontade seminua
Guardada, amordaçada e latente...
E mantêm-se as aparências


Reticências (...)

(Nara Carvalho)

terça-feira, setembro 08, 2015

11 Anos de Muito Amor




Coração de mãe parece ter útero



Onde continua carregando o filho

Parece que não nasce nunca...

Amor de mãe é absoluto e sem restrição

Regozija-se em suas alegrias e conquistas 

Mas nas dificuldades sofre junto ou até mais 

Ser mãe de menina é ter muitas facetas 

Trocar novelas por Pepa 

Jornal por Chiquititas 

É ser amiga da mesma idade 

Aprende a falar a mesma linguagem 

Aprende a gostar das mesmas músicas 

E a cantar juntas... 

Um mundo cor de rosa compartilhar 

É dividir os esmaltes e  batons 

Os mesmos interesses partilhar 

É ensinar e aprender 

É redescobrir a vida com você 

Porque do seu lado a vida é mais colorida 

Nesse teu jeito tão lindo de ser... 


Nara Carvalho


(Dedicado à minha filha Carla Cristine, nos seus 11 aninhos de vida)

quarta-feira, agosto 26, 2015

ÁRVORES



ÁRVORES


Poemas que a terra
Escreve para o céu
E nós as derrubamos
E transformamos em papel
Para registrar
Todo o nosso vazio


**Khalil Gibran


quarta-feira, agosto 19, 2015

QUE MUNDO É ESSE?




O mundo mudou ou mudou o evangelho?.

O evangelho de hoje não exige renúncia!



Qual é mesmo o propósito do Cristão?

É preciso ser santo ou basta parecer?

Acaso Jesus parece ser o filho de Deus ou é?

Qual é mesmo a missão de um cristão?

É preciso ser ou basta parecer?

Qual é mesmo a luta de um cristão?

Ah! Eu quero pregar...

Ah! Eu quero cantar músicas pra Deus...

Mas...Será que já me perguntei



O que será que  Deus quer de mim????


Nara Carvalho

sábado, agosto 08, 2015

SER PAI: UMA MISSÃO


Os pais tornam-se pais de repente, num susto!!

Não são como as mães que tem os nove meses para se acostumarem e se adaptarem à nova realidade. Pois as mães já são mães desde a fecundação, começam os enjoos, as mudanças com o próprio corpo, mudam os hábitos e vão se adaptando a cada dia pra esse novo ser em formação. E por mais presente e solidário que o pai seja, ele só assiste, essa relação que é só de mãe e filho, unidos por um cordão, em um mesmo corpo!!!

Os pais não! Eles são comunicados que vão ser pais. Às vezes até depois de já serem. E a maioria não tem a menor noção do eu seja isso, porque pouco contato tem com sua nova condição, ou nenhuma. Pra eles nada muda durante uma gravidez, a vida segue normal. Ser pai é um estado de espírito, nada muda, ficam meio excluídos dessa fase, por mais que acompanhem não tem a mínima ideia do que seja ter uma vida se formando dentro de si.

E é num susto que eles chegam, de repente, já formados, de uma forma imprevista ou programados, enfim podem concretizar a ideia que são pais. E aquele ser tão pequeno lhes é apresentado como seu e ele não tem a menor ideia do que fazer. Mal sabem pegar no colo, são desajeitados e tem medo, insegurança.

E é nesse momento, em que vêem no pequenino ser semelhanças físicas, às vezes verdadeiros Xerox de si mesmos, é que vem a consciência que enfim são pais, são responsáveis por uma vida.

E eles mudam os hábitos, os horários, e toda a sua rotina. Dormem menos, comem mais, vão ter menos tempo para si mesmos. Muitas vezes estão cansados demais para saírem e quando o bebê dorme só desejam a mesma coisa.

E eles têm mais responsabilidades, mais dívidas, mais obrigações... Mas também muito mais alegria!!! Se sentem completos, realizados, e pensam como puderam viver tanto tempo sem serem pais.

E não importa a idade do filho, sempre estará por perto, ensinando, protegendo, guardando... A vontade é de tê-los debaixo das asas pra sempre, mas não conseguem conter o orgulho ao vê-los voar, e irem em busca das suas próprias conquistas.

Pais são heróis anônimos,  e vencem batalhas que muitas vezes só eles sabem. E cumprem com sacrifício e alegria sua maior missão na vida: a de ser pai!

Parabéns a todos os pais não só nesse dia, mas em todos os outros 364 do ano.



Nara Carvalho

quinta-feira, abril 23, 2015

MARCAS DA (DES)UNIÃO





Construí um castelo encantado

Com portas, 

janelas, 

telhado,

Muito amor, dedicação…

Paz amor e união!!


Um dia veio uma onda,

Na areia ficaram as marcas

Das feridas do meu coração.


Desenhei uma nuvem no céu

Com pedaços dos sonhos  meus

Sorrisos, 

olhares 

 suspiros

Veio então a ventania

Logo depois uma agonia

E só restou a dor.




(Nara Carvalho)